1 de novembro de 2005

Cores do Outono



A copa de um liquidâmbar...



...e outra árvore que não consegui identificar na parca bibliografia que possuo, apesar das amostras que recolhi no terreno: um ramo de folhas alternas com recorte marginal em forma de serra e um fruto redondo que parece e cheira a limão. Haverá alguém no grupo de especialistas que queira esclarecer-nos?

31 comentários:

Ernesto disse...

Carlos Romão... atira-me com as tuas belas fotos à cara, sim! é isso! mais, por favor! .................................................................................................Gritos desesperados por atenção..................................a tragédia...

Mendes Ferreira disse...

eu cá não sou de intrigas...ignoro completamente...só sei que A D O R O as fotografias....e pode-se roubar? e pode-se deixar um beijo em cada ramo? então prontos...e vou embora. bjs. :)

João Almeida disse...

Assim de repente...parece-me uma pseudoacácia...onde fica a árvore? posso lá ir verificar...:)

Óptimas fotos!

lazuli disse...

Não sei..só sei que vir aqui é quase como pão para a boca.

T. disse...

Confesso: dia tão, tão cinzentão que passei por aqui só para ganhar coragem.
Abraço. T.

amie disse...

gosto muito da primeira, é mais vermelha!:)
bj

guevara disse...

ai caraças...

bate uma saudadinha...

rps disse...

Sobre as fotos, já não digo nada porque me iria repetir e elas dizem tudo...

Sobre o nome da árvore até gostava de dizer algo de útil, mas sou um bicho urbano limitado.
Só posso sugerir que o cheiro dos frutos a limão faz supor tratar-se de um limoeiro, mas mesmo um bicho urbano limitado vê que não é um limoeiro.

Hipatia disse...

Boa tarde :)

Venho aproveitar-me desta caixa de comentários que raramente uso para pedir uma ajuda na divulgação de um novo blogue. Porque tem apenas a ver com a nossa capacidade para sermos solidários. Basta ver aqui: http://proximizade.weblog.com.pt/

Obrigada e desculpa o abuso.

The Watcher disse...

Muito, muito bonito!

Master Minder disse...

Exactamente. Fotos fantásticas! Gostei muito deste blog desde que o descobri precisamente através do Vigia da Noite. E cá vou voltando...

Julia disse...

Só para dizer que estas fotos são lindíssimas e reflectem um sentido estético apuradíssimo.
Fico "agarrada" sempre que por aqui passo (apesar do pouco tempo...)
Um abraço

Carlos Romao disse...

João Almeida,
a árvore fica na Aarão de Lacerda, a rua do estádio do Inatel :)

Pedro Estácio disse...

Olá Carlos,

Gosto da melancolia que a imagem transmite...

As cores, e sobretudo o tom avermelhado das folhas são fantásticas!

Abrç,
Pedro Estácio

Jorge Simões disse...

Há momentos em que, de facto, as imagens falam por mil palavras... É o caso destas folhagens magníficas, mas também o caso do blog por inteiro. Sinceros parabéns!

Paulo Araújo disse...

Pela parte que me toca, obrigado pela menção - mas só por esta foto, apesar de magnífica, não consigo dizer de que árvore se trata. As folhas são compostas ou simples? Se o fruto não for uma vagem (e, pela sua descrição, não é) então não pode ser um robínia - que, tal como as acácias, é uma leguminosa. Talvez a Manuela, que mora perto, conheça a árvore, mas se tiver outras fotos com mais detalhe pode enviar-nos para dias-com-arvores@sapo.pt

Maria do Céu Costa disse...

Bonito trabalho de recolha fotográfica, um explendor de contraste de cores presentes no Outono. Cumprimentos.

manueladlramos disse...

Ola
Já aqui vim no outro dia, e fiquei desconcertada com a descriçao do fruto, sobretudo do aroma! Mas hoje ocorreu-me: é capaz de ser uma nogueira preta Juglans nigra L. aliás não estou a ver que possa ser nenhuma outra árvore. Mas amanhã de manha vai ser a primeira coisa que vou fazer: ir ver se os frutos das nogueiras pretas que há aqui na rua cheiram a limão!!! Que parecem, assim à primeira vista uns limões arredondados, lá isso parecem.
Carlos, por favor dê um saltinho até Leiria para confirmar ;-)

Carlos Romao disse...

Manuela,
Confirmei em Leiria que é de facto uma nogueira preta. E verifiquei que recolhi do chão folhas de outra árvore, que classifiquei, por comparação com desenhos de um livro, como alternas. Creio que são opostas :(

Duarte disse...

Gostei muito da primeira fotografia - do liquilândar. A cor da folhagem é parecida com uma árvore ainda pequena que tenho no meu jardim- um acer.
Vou ao Porto muitas vezes e gosto das suas fotos.
Um abraço
Duarte

Uxka disse...

Faz bem à alma passar aqui. Estou como o Duarte, a primeira parece o meu pequeno ácer que está sem folhitas agora. A segunda, fiquei a saber.
Queremos mais!

FDV disse...

muito bom blog. sublinho as fotografias deste post.

cumprimentos.

Thierry disse...

Excellent blog, thanks !
Thierry From France
http://tbiet.tooblog.fr/

Milocas disse...

Adorei a cor destas duas fotos... :) Começa a ser difícil arranjar outras palavras pra te dizer sempre o mesmo. De qualquer maneira, obrigada por partilhares sempre o que 'vês' dessa maneira. Um beijinho *

W disse...

Adoro o Outono pelos tons com que as árvores se 'vestem'. As fotos continuam a ser de uma excelente qualidade e anseio por mais algumas. Um abraço de bom fim de semana.

nanduxa disse...

Para mim que estou longe da muy nobre, sempre leal e invicta cidade do Porto,ver este blog ajuda-me a matar as saudades da minha terra. Obrigada por existir

T. disse...

Lindas estas árvores! E as fotografias também. Hoje tinha tido o primeiro contacto com uma destas árvores, a Liquidâmber, no blogue da Manuela Ramos (http://dias-com-arvores.blogspot.com/). Óptima referência para quem gosta de árvores e quer saber um pouco mais ... Tão bom perceber que no mundo vazio em que vivemos ainda há gente com CAUSAS.
Por falar em causas e gente com CAUSAS, a Matilde B. está a preparar um blog (CAUSA NOSTRA:http://causanostra.blogspot.com/ ) essencialmente fotográfico (é uma belissima fotógrafa)para a discussão de causas que nos dizem respeito e a que não podemos ficar alheios...

manuelvitorino_88@hotmail.com disse...

Caro amigo: esta viagem foi uma dupla e agradável surpresa. Por um lado,tive o pivilégio de revisitar a cidade de Garret através de um bloque cheio de imaginação e criatividade. Depois, engenhoso (no sentido de arte e trabalhoso) e ao mesmo tempo poético. Através dos textos e das fotos conheci um fotógrafo sensível (porque não mostra o seu trabalho?) e ao mesmo tempo, revelador da importãncia que, cada vez mais, neste mundo das novas tecnologias, os bloques como fonte inesgotável de conhecimento e cultura. A outra surpresa do dia, foi esta viagem ter sido proporcionada por uma pessoa especial e que o acaso, me fez encontrar numa rua de artes. Feitas as contas, ganhei dia. Um grande abraço do amigo, Manuel Vitorino


Nota: Não se esqueça do desafio. As suas fotos não podem ficar na gaveta.

Paulo Alves disse...

Também gosto de visitar a cidade, por aqui. Enquanto é noite, ainda.
Apenas um reparo: a sua assinatura na fotografia não me parece o melhor pormenor.

Francisco Flórido disse...

Caro amigo, penso ser uma "juglans nigra" ou Nogueira Preta. Nota o fruto não é comestivel e esta arvore é uma agradavel espécie ornamental.
Parabéns pelo teu trabalho.
Já agora o meu nome é Francisco Flórido e estou sempre contactavel

Nuno Rico disse...

Não pode deixar de ser uma Juglans nigra - Nogueira-preta, nativa da América do norte.

Como disse o Francisco Flórido, é uma árvore ornamental e mas também é uma boa produtora florestal, embora pouco utilizada em Portugal.

O seu fruto não é comestível por ser ligeiramente tóxico, apesar de ter um sabor muito agradável. O fruto é mais pequeno do que o da nogueira - Juglans regia, mas a casca do fruto é muito mais dura que essa.

Cumprimentos!