18 de Novembro de 2005

Vozes do Mar - 2



Vozes do Mar

Quando o sol vai caindo sobre as águas
Num nervoso delíquio d'oiro intenso,
Donde vem essa voz cheia de mágoas
Com que falas à terra, ó mar imenso?...

Tu falas de festins, e cavalgadas
De cavaleiros errantes ao luar?
Falas de caravelas encantadas
Que dormem em teu seio a soluçar?

Tens cantos d'epopeias? Tens anseios
D'amarguras? Tu tens também receios,
Ó mar cheio de esperança e majestade?!

Donde vem essa voz, ó mar amigo?...
... Talvez a voz do Portugal antigo,
Chamando por Camões numa saudade!

Florbela Espanca

16 comentários:

CARMO disse...

Os fins de tarde à beira mar são sempre um delírio... mesmo no inverno... mesmo com mau tempo.
Parabens pela fotografia e pela escolha do poema.

mdferreira disse...

Imaginem-se num pequeno bote embalado por estas ondas, uma musa com sua voz divinal sussurando-nos este poema.
Estaria encontrado o Éden

Teófilo M. disse...

En mi cielo al crepúscelo...

En mi cielo al crepúscelo eres como una nube
y tu color y forma son como yo los quiero
Eres mía, eras mía, mujer de labios dulces
y viven en tu vida mis infinitos sueños.

La lámpara de mi alma te sonrosa los pies
el agrio vino mío es más dulce en tus labios,
oh segadora de mi canción de atardecer,
cómo te sienten mia mis sueños solitarios!

Eres mía, eres mía, voy gritando en la brisa
de la tarde, y el viento arrastra mi voz viuda.
Cazadora del fondo de mis ojos, tu robo
estanca como el agua tu mirada nocturna.

En la red de mi música estás presa, amor mío,
y mis redes de música son anchas como el cielo.
Mi alma nace a la orilla de tus ojos de luto.
En tus ojos de luto comienza el país del sueño.

Pablo Neruda
Veinte Poemas de Amor y Una Canción Desesperada

Dinada disse...

Não me livro duma lágrima teimosa que, sem autorização, rola para, inevitavelmente, cair no infinito...sem que haja quem a ampare!

Mendes Ferreira disse...

carlos não me vou repetir.....:)....obrigados.

th disse...

Quem sabe se Florbela escreveu este poema em frente a este mesmo Mar...
Ela se suicidou numa pensão em Matozinhos, segundo o que li há muito tempo.
Faz-me bem à alma passar pelo teu blog!
Parabens e obrigada!
th

julia disse...

Por aqui passo muitas vezes, embora nem sempre deixe rasto.
Volto sempre que preciso de um tónico para não submergir.
Obrigada.

Jorge disse...

C´estou eu a espreitar as maravilhas que aqui deixa .
Obrigado

Pedro Estácio disse...

O mar agitado e Florbela Espanca...
Uma combinação perfeita!

Bom fds,

Abrç,
Pedro Estácio

T. disse...

Gosto de Florbela. Amo o mar.
Só posso agradecer este momento.
Abraço. T.

nina disse...

gosto do mar da Florbela e do Porto! :)

Malae disse...

E que lindo é este mar =]

Beijinhos grandes,
Malae***********

Carlos disse...

... passo por aqui periodicamente!

... raramente aqui fica um comentário!
... e isso porque me sinto incapaz de o fazer, perante tão verdadeiras maravilhas!

... continua!

Xi

Caçador de Palavras disse...

belíssimo cantinho... ;-) gostei de aqui estar

Anónimo disse...

Perdone el no poder escribir en portugues..He tenido un socio por una temporada de Oporto y me hablaba de maravillas de su ciudad y es verdad. Linda pagina
lavecinita

chuck disse...

IMPRESSIVO!