26 de junho de 2012

Querem espoliar o Norte das suas relíquias ferroviárias

A mais antiga locomotiva existente na Península Ibérica, conhecida entre os ferroviários pelo nome carinhoso de «Andorinha», está em vias de ser deslocada da região onde trabalhou mais de cem anos, para o sul. O alerta é de um grupo de ferroviários aposentados, que se opõem a esta decisão numa carta-aberta intitulada «Querem espoliar o Norte das suas relíquias ferroviárias».
Os signatários afirmam que esta locomotiva e outro património que poderá abandonar Nine, em Famalicão, deverá permanecer no Minho «exatamente como os quadros de Grão Vasco devem continuar na Igreja de Tarouca ou no Museu Grão Vasco de Viseu, bem como os Painéis de S. Vicente, de Nuno Gonçalves, em Lisboa», argumentando que se trata de uma «mais-valia imprescindível para impulsionar a economia local e regional, no âmbito do turismo, ao diversificar a oferta cultural».
Leia a carta-aberta e veja a «Andorinha» e o belo edifício da cocheira de locomotivas a vapor de Nine, no blogue aqui ao lado, A Cidade Deprimente.

21 de junho de 2012

A beleza discreta dos metrosíderos em flor

São árvores? Não! São arbustos centenários que o tempo agigantou com uma imensidão de altura e uma copa enorme e densa impossível de medir.
In Dias com Árvores

Os metrosíderos são uma espécie originária da Nova Zelândia. Os das imagens fazem parte de dois conjuntos que totalizam oitenta e oito exemplares existentes na Avenida de Montevideu, classificados como de interesse público desde 2005, por proposta dos autores do blogue Dias com Árvores, elaborada no âmbito da Associação Campo Aberto. Veja aqui.