8 de Agosto de 2005

No Mercado do Bolhão



A doença do Mercado do Bolhão estava diagnosticada há muito e só por falta de vontade não se lhe aplicou o tratamento adequado. Agora, com porta da Rua Formosa fechada e a ala Sul evacuada, deitam-se as mãos à cabeça e improvisam-se obras que garantam a segurança de pessoas e bens. Obras que, está prometido, durarão quinze dias.



Apesar disto o velho mercado, reduto da identidade tripeira, resiste.
Do meio dos comerciantes de frutas, apertados nas escadas, uma voz enérgica sobressai: «É para uma revista? Diga lá que o mercado está aberto!!!».



Está aberto e recomenda-se, apesar da nota de desânimo patente no rosto dos comerciantes. A avaliar pelo movimento no Sábado de manhã, o vaivém de clientes é constante.



Com alguns dos pequenos restaurantes a funcionar em pleno, havia de tudo à venda.



Até peixe, apesar de o local tradicional das peixeiras, que se pelavam por besuntar políticos precisados de banhos de multidões, estar vazio. Só os talhos estão fechados.



Não resisto a deixar aqui uma sugestão: experimente meter-se no metro, sair à porta do Bolhão e fazer lá as compras. Eu assim fiz e não me arrependi. E depois... até a rua de Sá da Bandeira está tão aprazível nesta altura do ano, com árvores, flores e a luz reflectida pelos passeios claros de calcário e basalto...

38 comentários:

Ernesto disse...

mmmm!

guevara disse...

Ja fiz o que disseste, durante muito tempo...
Não precisava apanhar o Metro, morava mesmo à beira.
E lembro-me perfeitamente, no 1º e 2º anos do curso ir desenhar o Mercado, por fora, por dentro, pormenores, todas as vistas.
Parar para ir comprar um pêssego, ouvir as senhoras:

" ò rica, compre um maçazinha!!!"

"Ò 'more, desenha-me que eu sou linda, mas põe-me um cabelo de jeito!"

"Ai...que isso inda bai pó museu e eu fico estampada pa toda a bida!"

Mendes Ferreira disse...

f a n t a s t i c o.
é de ficar de
b
o
c
a


a
b
e
r
t
a.

Ernesto disse...

ou como aquela personagem que costumava vaguear pela baixa do porto, gritando "ò môr, môr... dà-me um beijo!"

Onde é que ela anda?

O porto tem mais loucos por metro quadrado que qq outra cidade em PT.

amie disse...

viva o bolhão!
que grandes fotografias!:)
BRAVO!

AM disse...

Lindo :)

arlequim disse...

é smp agradavel passaear pelas ruas tradicionais do porto, não há nada igual!

th disse...

Andei por lá em Junho, lá almocei e fiz compras, tripas enfarinhadas que trouxe para Lisboa, que aqui não há. Andei de metro todo o tempo...adorei!

André Batista disse...

A primeira e a quinta foto estão realmente muito boas!

monica disse...

Pois eu não consigo ir ao Bolhão (nem ao Bom Sucesso): desde que, quando pequenina (há trinta anos?) ia lá com a minha mãe. Aquelas mulheres aterrorizavam-me! Já crescida, pelos vintes, tentei lá regressar, atraída pelo pitoresco e julgando que era tudo uma distorção da minha memória. Mas não era. Mesmo adulta achei aquele pitoresco demasiado agressivo e aquele um território onde, claramente, o cliente não pode pisar o risco. As imagens na TV há dias relembram-me tudo isso.

Mas as fotos, claro, estão belíssimas!

Anónimo disse...

Carlos, mais uma vez viajei literalmente com a sua objectiva. Parabéns.
Adoro o Bulhón! e ofereço-me por anfitriar a Mónica numa visita pelo Bulhón. Vamos as duas que ninguém nos há-de bater e se nos baterem a gente tb se defende nem que seja com um carapau*risos*.não é á toa que se diz que ñ é qlq politico que vem ao Bulhón, aquilo é mais uma Institução!
e, concordo com o Ernesto qdo refere que o porto tem mtos doidos á solta*sorrio*
asc

Funes, o memorioso disse...

Estou com a Mónica.
As imagens que Carlos Romão aqui nos deixa são, como sempre, o retrato mítico da cidade.
E muito belas.
Mas, felizmente, não têm cheiro.
O Bolhão (menos que o Bom Sucesso, apesar de tudo) dá vómitos.
Por causa dos cheiros agoniantes não entro lá desde miúdo. A última vez que lá fui teria 10 ou 11 anos e fui pela mão da minha mãe. A certa altura esta indagou do preço de certos pêssegos, que reputou de muito caros. Como resposta, oteve o comentário da vendedeira:
- Ollhe, minha senhora, de graça coma merdinha que lhe sabe a pêssego!
Não gosto dos cheiros, mas gosto desta linguagem.

corpo visível disse...

eu que em barcelona andava sempre pelo mercado de la boqueria aqui raramente entro no bolhão. as tuas fotos tornam-no mais apetecível...

Carlos Romao disse...

Mónica e ASC

Não creio que o Bolhão seja um local inóspito e inseguro. Para mim é até muito agradável. Gosto deste tipo de velhos mercados em qualquer cidade e acho que o Bolhão não é muito diferente de outros que tenho visitado. A actividade dos comerciantes do mercado é um trabalho duro que, excepcionalmente, se poderá reflectir numa ou outra atitude mais agressiva, mas só se for provocada.
Quanto às imagens na TV penso que esse tipo de reportagens, ao mostrar apenas uma parte dos acontecimentos, amplia a realidade. É também conhecida a tendência para a representação, por parte dos protagonistas de um acontecimento, quando aparece uma câmara de TV.
Gostava de aceder ao blogue da Mónica mas não consigo lá chegar através do Blogger Profile.

Carlos Romao disse...

Funes,el memorioso

Concordo consigo quanto ao Bom Sucesso e discordo sobre o Bolhão.
Estive lá no Sábado passado e apesar de ter a pituitária a trabalhar em pleno não senti cheiros desagradáveis. Sei que o Bolhão não é um local asséptico como os hipermercados. Cheirou-me a fruta, a peixe, a enchidos, a flores e a café.
Não estará na hora de o Funes lá voltar, para arrumar no baú da memória essa imagem que tem desde os 11 anos?
Quanto à linguagem estou consigo, não me incomoda rigorosamente nada :)

Ernesto disse...

amigos:

a vida cheira.

Corre-se por gosto, certo. Mas não é só por saudosismo, ou pelo seu carácter pitoresco que o Bolhão continua a funcionar. Continua porque consegue, porque tem condições.

monica disse...

Ao CR
Eu não tenho blog... só agora vejo que em baixo, ao escolher uma identidade, há a hipótese blogger e outro (anónimo não é hipótese). Deveria ter posto "outro" por não ter blog? Achei que blogger podia ser quem lê um blog, e não quem o tem. Como vê sou novata nestas coisas. Obrigada de qualquer forma. Já estive mais longe de ter um blog!

maricelper disse...

Carlos, hoje descobri este teu sítio. Consegues sempre uma qualidade muito refinada. Uma qualidade que nos toca. Já tinha saudades de visitar os teus espaço. Um abraço.

Cláudio Alves disse...

Carlos, já tínhamos saudades tuas. :)
Um abraço.

Carlos Romao disse...

Mónica,
acho que pode ser blogger reader :)

Jorge disse...

Absolutamente fantásticas as suas fotografias, que me fazem evocar tempos idos sem mais volta.
Obrigado

sombr|A|rredia disse...

O verdadeiro espírito do Porto está aqui estampado.
Como smp...excelentes fotos ;)

rps disse...

Eu gosto do Bolhão.
As únicas vezes em que lá fui e não gostei foi em trabalho, a acompanhar políticos. Já me calharam vários, o mais sinistro dos quais um tal Pedro Canavarro que chegou a ser líder do já moribundo e sempre sinistro, desde a primeira hora, PRD.

Se já não tivesse percebido antes, perceberia nesse dia a farsa das visitas dos políticos ao Bolhão: o homem era popularíssimo!!! Por aquele diapasão ia ter pelo menos 20 por cento. Acho que teve 0,7...

Era tudo teatro, claro, aquela festa, mas eram as próprias vendeiras que faziam a fita para se divertirem. Acho que faziam muito bem.

Ouvi uma vendedeira dizer à outra: oh Rosa! Não o apalpaste???

Noutra ocasião, com o Manuel Monteiro ainda no CDS, outra dizia, pasmada: ele não tem cú para encher as calças!

Durante as férias apercebi-me da polémica. Que não se entende. A Câmara decide recuperar o Mercado e isso é criticado. Talvez haja algum dado que me tenha escapado...

Já não me escapou a presença demagógica doe dois execráveis da praça: Abrunhosa e Bitaites.
São os amigos dos oprimidos, mas só dos que fazem barulho...

As fotos, claro, estão à Carlos Romão.

Um abraço.

Anónimo disse...

«Era tudo teatro, claro, aquela festa, mas eram as próprias vendeiras que faziam a fita para se divertirem. Acho que faziam muito bem.

Ouvi uma vendedeira dizer à outra: oh Rosa! Não o apalpaste???

Noutra ocasião, com o Manuel Monteiro ainda no CDS, outra dizia, pasmada: ele não tem cú para encher as calças!» cito

Fartei-me de rir com esta observação sua tão pertinente, aquele mulherio é mesmo barraqueiro, não é defeito é feitio. ñ é por acaso q ñ sao tds os politicos q se metem no bolhão. gente sem papas na lingua essa*risos*

asc

Carlos Romao disse...

O Bolhão é um palco da vida, para o melhor e para o pior. Nos casos descritos pelo RPS o melhor é a divertida participação das vendedeiras na farsa político-mediática. Divertida e autêntica, porque aquelas mulheres não fazem fretes ;)

Miguel de Terceleiros disse...

Estar debruçado no varandim e observar as pessoas no Bolhão é uma fonte de inspiração para fotógrafos mas também para escritores, é um lugar mágico.
abraço

manueladlramos disse...

É, a farsa político-partidária... E na AVENIDA DOS ALIADOS que tipo de tragédia se encena?

(parabéns pelas fotos, claro;-)

Carlos Romao disse...

manueladlramos,
concordará comigo que me assiste o direito de não me pronunciar sobre a remodelação da Avenida dos Aliados, apesar de não gostar do projecto, como já lhe fiz saber. Tal como me assiste o direito de referir as campanhas eleitorais no Bolhão. Ou não concorda?

manueladlramos disse...

Caro Carlos, claro que concordo (ou melhor que remédio). Desculpe então este meu oportunismo: sempre que posso, publicito o que se passa na AVENIDA DOS ALIADOS. O objectivo foi esse simplesmente.

1entre1000's disse...

Não imaginam a quantidade de manhas de sabado em que me levanto e vou deambular para a baixa do Porto (sem faltar as ditas compras no Bolhão, em que as vendedeiras teem sempre alguma graça para nos dizer...)

Carlos Azevedo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Carlos Azevedo disse...

Também eu não preciso de apanhar o metro, uma vez que moro à beira do Jornal de Notícias, a escassas dezenas de metros do Bolhão. É, de facto, muito agradável fazer as compras no Bolhão. Aprecio particularmente o cheiro a cominhos das tripas enfarinhadas acabadas de cozer. E recordo, com muita doçura, os tempos de criança, quando tentava convencer a minha mãe a comprar-me um patinho bébé, para pôr na banheira!

Luigi Mario disse...

Acho que hoje em dia as pessoas por vezes fartam-se de Centros Comerciais e Hipermercados, e o Bolhão sempre é um bom sitio para se comprara e regatear aqueles artigos mais raros nas grandes superficies ou mesmo fruta e legumes, os quais evito sempre comprar congelados ou duvidosos.
Seria bom lembrar que o o nome do Bolhão vem do local onde se encontra, onde varios riachos se encontravam formando um pequeno lago e onde, inclusivé, se encontrava um fontanário junto ao mercado da altura.

Sarokas disse...

eu, sendo filha de uma vendedora de lá, acho que o bolhao é um património que vai ficar para a história de Portugal, apesar de existir certos rumores sobre o estado de edificio, o que interessa e que as pessoas estao la para vos atender como sempre vos atenderam(com amor alegria e smpre como a boa disposiçao) nao desperdiçem os momentos saborosos ao comer os alimentos que la compraram pois nao a nada melhor do que sermos atendidos da melhor forma e com garantia do que nos levrmos está bom.... Ainda bem que há alguem que saiba dar valor a esses pequenos promenores que fazem diferença para um vida saudável nao só do cliente max tambem do vendedor...
Vao,comprem e experimentem o sabor e o cheiro daqueles maravilhosos alimentos vendidos com muita alegria e amor...

tvd disse...

Pela Preservação do Mercado do Bolhão Assina a petição http://www.ipetitions.com/petition/bolhao/?e
como cidadaos temos a obrigação de nos manifestar de todas as formas quando assistimos à delapidação constante de patrimonio cultural e arquitectonico da cidade em que vivemos.
Para que o bolhao nao se transforme em mais um centro comercial, é altura do Porto acordar pois falta pouco para a cidade perder toda a sua identidade.

Manifesto Bolhão disse...

Nós,a Comunidade estudantil, não podemos deixar de manifestar, publicamente a nossa total discordância e solicitar às Entidades e Organismos de Tutela, que impeçam esse "acto de puro mercantilismo" que pode ser a Demolição do Mercado do Bolhão.

DIA 21 DE JANEIRO AS 20.30 MANIFESTO ESTUDANTIL EM FRENTE À CÂMARA DO PORTO! DIVULGA A INFORMAÇÃO

nemesis disse...

Assinem todos e passem aos contactos!

http://www.petitiononline.com/bolhao/petition.html

joana disse...

[http://www.petitiononline.com/ptratt/petition.html]
IMPEDIR A DEMOLIÇÃO DO MERCADO DO BOLHÃO DO PORTO Petition

URGENTE!!!
Para que o mercado do Bolhão não seja transformado num Centro Comercial!
Temos só até ao dia 21 para agir!

Escrevam o nome completo e número do B.I.

Peçam os dados a familiares e amigos e inscrevam também!

Reencaminhem esta mensagem. Temos pouco tempo para impedir este crime...