14 de dezembro de 2005

Pessoas


Um par rapioqueiro...


...um mago improvisado...


... gente anónima num fim de tarde frio de Dezembro, entre Santa Catarina e a Batalha.

35 comentários:

stefano_ferracini disse...

Ola,
olho sempre as tuas fotografias com grande prazer!
Morei tantos anos na Baixa e mesmo agora que voltei para a minha terra sinto-me ainda tão a ?moda do Porto? que não consigo deixar de ter saudades.
Um grande abraço

Lino Gomes disse...

Não vejo a hora de a animação chegar efectivamente à baixa, espero que se concretizem os planos para a Batalha!

TMara disse...

captaste muito bem a vida do povo tripeiro e o frenesim das ruas. Bjs e:)

Pink disse...

Porto em tempo natalício - bem apanhado o ambiente da baixa da cidade nesta altura!

Um beijo

Mendes Ferreira disse...

um porto mais próximo, mais informal....e sempre belo. fotografado assim. boa noite e bjo.

CARMO disse...

ehehe! Este é o Porto que eu conheço... captaste de forma fantástica o ambiente da rua e da baixa no Natal! Obrigado.

marta brandão disse...

Parabéns pelos momentos de fotografia mas também pelas letras que os acompanham! :)

O Porto é mesmo uma fonte de excelentes momentos!
obrigada

aeriene disse...

uauuuuuuuuuuuuuuuuuuu a minha cidade é linda mesmo!!!! @@@ são rosas para ti

guardião da cidadela disse...

gostei de passar por cá...gosto de blogs de fotografias e vejo que tem Mendes Ferreira nos seus links.

Funes, o memorioso disse...

É curioso!
Nunca me ocorreu que uma cidade surpreendente pudesse ser feita com pessoas.
No seu olhar é, caro Carlos Romão.

M disse...

São habitualmente muito belas as fotografias que aqui encontro, acompanhadas de palavras que também aprecio.

moonj_Rita disse...

Que bom que existem pares rapioqueiros, daqueles que ensinam às pessoas que a felicidade é para sempre. E que bom que existem magos improvisados que abrem sorrisos nas boquinhas das crianças. E que belo é passear nas ruas do porto numa tarde de Dezembro...

guevara disse...

óh!!! eu morava ali!!!

:'(

saudadinhas...

henrique disse...

sempre que vejo este blog. revejo o meu Porto. Cidade onde nasci e vivi. Grande é a sua beleza! A sua cor, para mim é única. Sou mesmo um bairrista e sentimentalista pela minha cidade. É que ela é uma grande Amante...e há sempre algo de novo...no burburinho dela!

Miguel disse...

Ensinas-me a gostar ainda mais da minha cidade. Obrigado!

Ernesto disse...

...ou o fascinante mundo das pessoas...

Dinada disse...

Há mesmo qualquer de diferente nas gentes do Porto...e tu capataste isso muito bem :)

Freddy disse...

Só falta o vendedor de castanhas... ;)

Saudades da Zona Franca que hoje faz 2 anos...Parabéns a nós!!!

rps disse...

É isso - o Porto também são as pessoas.
Um abraço.

Pedro Estácio disse...

Olá Carlos,

À muitas luas que não vinha por aqui, pela cidade surpreendente... mea culpa! o tempo (ou a falta dele) tem sido castigador!

Gostei das fotos. O calor humano é sempre necessário para tornar mais viva a cidade (até mesmo o surpreendente PORTO!).

Abrç.
Pedro Estácio

lazuli disse...

Tens a arte do olhar.
E nesse olhar a cidade vibra, na sua gente.
Gosto tanto das tuas fotografias que é difícil não me emocionar ao vê-las.

Um beijo, meu amigo

Fernanda Guadalupe

monica disse...

esta zona - stª Catarina - pode ser apaixonante pelo seu movimento associado aos seus inúmeros pontos de animação. no entanto, ultimamente, tem um outro lado, desolador, assustador mesmo: uma quantidade progressiva de mendigos dickensianos

Kraak/Peixinho disse...

Nós acabamos todos por ser um pouco anónimos quer no frio de uma tarde quer no pico de um dia quente. Belas fotos apanhadas :)

Hugzz invictos

Duarte disse...

No dia 15, andei por ali perto.
Estive na Cordoaria, Ceuta, Clérigos.
Gosto da cidade do Porto, onde estudei.
As fotografias espelham o pulsar humano da cidade .
Um abraço
Duarte

F.R. disse...

não há Porto sem pessoas e que bem que fixas cada momento. Cresci por aqui, sou daqui, continuo a andar por aqui. E o aqui é exactamente assim, como retrataste. Bonito

Malae disse...

E como o Porto é ainda mais bonito nesta altura! :D As suas pessoas são sempre adoraveis e afaveis! Um beijinho grande, Malae*******

Effe disse...

e quanti piedi, quanti passi, quante storie

th disse...

Eu também estou mais para hibernar do que para postar banalidades e a contar os dias que faltam para Janeiro, depois do dia 1...impossível ter disponibilidade com toda esta pressão. Para quem faz do Natal uma época feliz e alegre, os meus votos de que assim seja.
Agora vou dar uma volta pelos blogs que costumo visitar e vou deixar este mesmo comentário em todos.
BOM NATAL!
th

JG disse...

Apesar de ter dado uma pipa de massa por uma (dizem) topo de gama, não consigo fazer fotografia assim. Acho que não nasci para isto. As tuas são belas. Fiquei com vontade de rever o Porto urgentemente. Um abraço

João Baptista disse...

Eu sou um mouro que adora o Porto,
ATENÇÂO eu disse o Porto não o FCP, ainda estive ai no dia 11 e já estou cheio de vontade de voltar. viva o TGV.

Anónimo disse...

parabens uma vez mais Carlos. Estive na baixa no mesmo dia e vi sta catarina por este olhar.
agora não sei dizer se o porto são as pessoas se são as pessoas que fazem o porto ser o que é....ou se uns e outros se transmutam no granito cinzento desta cidade que adoro.
bom natal a todos e especialmente para ti carlos obrigada mto especial da
asc

lobices disse...

...um abraço de Feliz Natal

Carlos Romao disse...

Obrigado a todos os que aqui têm comentado.
Quanto ao comentário de Mónica, da Hora Absurda, que me desculpe, mas não posso deixar de referir que não tenho visto mendigos em Santa Catarina, o que não quer dizer que não os haja, só não estão naquela rua. Se tivesse encontrado algum, por muito «dickensiano» que fosse, teria lugar na Cidade Surpreendente. A verdade é que o «glamour» da época vitoriana, assentava exactamente sobre a miséria descrita por Dickens.

S. disse...

Para quem está longe, este blo e estas imagens são um bálsamo. Obrigada, Carlos.
:)

Greta1944 disse...

É um lugar tão lindo, envolvente , que não se tem vontade de sair. As visitas virtuais tanbém absorvem o espectador de tal forma que fica-se com pena de fechar a página.
Vilma Cordeiro Maciel - Greta1944