26 de junho de 2012

Querem espoliar o Norte das suas relíquias ferroviárias

A mais antiga locomotiva existente na Península Ibérica, conhecida entre os ferroviários pelo nome carinhoso de «Andorinha», está em vias de ser deslocada da região onde trabalhou mais de cem anos, para o sul. O alerta é de um grupo de ferroviários aposentados, que se opõem a esta decisão numa carta-aberta intitulada «Querem espoliar o Norte das suas relíquias ferroviárias».
Os signatários afirmam que esta locomotiva e outro património que poderá abandonar Nine, em Famalicão, deverá permanecer no Minho «exatamente como os quadros de Grão Vasco devem continuar na Igreja de Tarouca ou no Museu Grão Vasco de Viseu, bem como os Painéis de S. Vicente, de Nuno Gonçalves, em Lisboa», argumentando que se trata de uma «mais-valia imprescindível para impulsionar a economia local e regional, no âmbito do turismo, ao diversificar a oferta cultural».
Leia a carta-aberta e veja a «Andorinha» e o belo edifício da cocheira de locomotivas a vapor de Nine, no blogue aqui ao lado, A Cidade Deprimente.

9 comentários:

Mário disse...

Uma treta das grandes.

E pela mesma medida, fico à espera de haver movimentos a insurgir-se contra o Panteão Nacional por espoliarem o norte do seu património cultural por terem lá os restos mortais de Almeida Garrett e de Guerra Junqueiro.

Carlos Romao disse...

Ficar-lhe-ia grato se contestasse o conteúdo concreto da carta-aberta e não se refugiasse em tretas que estão fora de questão.

Duarte disse...

Seria uma calamidade destruir algo assim, aquilo que se deve preservar.
É obvio que um património desta magnitude permaneça onde desarrolhou a sua actividade, para contemplação e desfrute dos usuários que, contemplarão com saudade aquela ANDORINHA que voava por caminhos de ferro tortuosos.
Excelentes argumentos comparativos! O centralismo não induz a nada positivo...
O meu apoio total a esta tese.
Aquele abraço

douro disse...

Apoiado!

douro disse...

Apoiado!

mfc disse...

A concretizar-se será mais uma perda irreparável e descaracterizadora de uma memória que merecia ser conservada no lugar que sempre foi o dela!

PPM-Braga disse...

Ex.mos Senhores,

A Assembleia Municipal de Braga aprovou por UNANIMIDADE, na passada sexta-feira, uma recomendação na defesa dos interesses do Norte e na preservação eficiente do material ferroviário e da "Andorinha".

Ler aqui a Recomendação:
http://ppmbraga.blogspot.pt/2012/06/patrimonio-cultural-ferroviario-no.html

Bem hajam também pela notícia
Manuel Beninger

Bic Laranja disse...

Quem escreve «exatamente» preocupa-se com o património?
Cumpts

Carlos Romao disse...

Caro Bic Laranja,

conheço pessoalmente dois signatários da carta-aberta. Garanto-lhe que o facto de quem redigiu o texto ter adoptado o acordo ortográfico de 1990, não afecta a preocupação genuína que têm com a conservação do património ferroviário.

Cumprimentos.