17 de março de 2013

É uma casa portuguesa, com certeza!

O protesto artístico dos trabalhadores da Casa da Música.

6 comentários:

João Menéres disse...

Protestos destes e pelo motivo CRETINO (por cego ), têm o meu total apoio !
"Eles" terão noção do importantíssimo papel que a CdM tem na Cultura ?
Concertos com intérpretes de primeira água com preços perfeitamente acessíveis ?
A Sala Suggia está normalmente cheia !
Que querem "eles" ?
Que a Administração duplique o preço dos ingressos ?
Cegas decisões !
Que cortem 80 ou 90% numa fundação que eu cá sei !

Anónimo disse...

O apoio de Manuel Sobrinho Simões:

"Sem esconder que gosto muito, mas mesmo muito, da Casa da Música, talvez seja suficiente dizer que me sinto na Casa da Música como na minha própria casa. Pelo sítio, pela gentes, por tudo. A minha adesão à Casa da Música é de tal ordem que não me lembro de qualquer visita de estrangeiros ao Instituto que não tenha passado por lá."

Anónimo disse...

O apoio de Júlio Machado Vaz:

"A sua importância para a Cidade salta aos olhos e aos ouvidos, pelo que acontece entre paredes acolhedoras e o que se espalha pelo burgo. Mas eu sou um tipo egoísta - nada chega aos momentos em que me enrosco numa das últimas filas dos auditórios e ouço música. Afinal ela é a linguagem universal, o esperanto que carrega a esperança de um qualquer sentido solidário para a cacofonia desta Torre de Babel em que vivemos, cujo sonho de transcendência se esgota na complacência dos mercados."

Fernando Torres disse...

Depois dos salários, das pensões, da saúde, da educação, e da dignidade, até a MÚSICA nos confiscam...

Fernando Torres disse...

Depois dos salários, das pensões, da saúde, da educação, e da dignidade, até a MÚSICA nos confiscam...

Carlos Romao disse...

É verdade, confiscam-nos tudo para nada. Desce o consumo, o investimento, e a procura; aumenta a dívida, o défice e o desemprego. Um dia destes vão às contas bancárias.