4 de janeiro de 2006

Feudo-tirou

Num dos frequentes levantamentos dos burgueses portuenses, ocorridos ao longo de séculos contra o domínio episcopal, alguns delegados régios mandaram saquear e derrubar as casas de alguns cónegos partidários do bispo. Questão de poderes. No trono estava então D. Sancho I, rei de Portugal... e dos Algarves que viria a perder. A este interessava reduzir o domínio do bispado do Porto, pertencente a Martinho Rodrigues, um bispo de má catadura, uma vez que tinha contra ele a maioria dos membros do cabido da Sé.



O povo... associou-se aos tumultos arrombando as portas das igrejas e introduzindo no interior os excomungados. Segundo Sampaio Bruno, que nos conta esta história no I tomo do seu interessante Portuenses Ilustres, dado à estampa em 1907, esta situação durou cinco longos meses, com «o bispo encerrado no palácio episcopal, em tão estreito assédio que nem sequer lhe consentiram entrasse um sacerdote, a confessá-lo, numa enfermidade que lhe sobreveio.»

Martinho Rodrigues acabaria por fugir o que levou o poder real a confiscar os seus avultados bens e os da mitra. Chegado a Roma «em tal estado de miséria que movia à compaixão», pôs o Papa ao corrente dos seus padecimentos. Perante tal desmanda, Inocêncio III apressou-se a dirigir cartas ao bispo e arcediago de Zamora e ao abade beneditino de Mosconela, «nas quais lhes dava comissão para compelirem Sancho I a reparar os danos praticados e a dar satisfação das injúrias feitas ao prelado.» Mandou igualmente que «fulminassem a excomunhão contra os oficiais do rei, instrumentos da perseguição, e especialmente contra dois burgueses, que parece haverem sido os chefes do levantamento popular.»



Um desses burgueses era João Alvo, e o seu companheiro um tal Pedro, que ficou conhecido pela alcunha popular de «Feudo-tirou». Os restantes burgueses portuenses que tinham lutado pelos seus foros, acabaram abandonados pelo rei poeta e ferozmente perseguidos pelo poder episcopal.

Sobre os vencidos destes tumultos, sentenciou Alexandre Herculano, ainda segundo Bruno:« (...) os seus inimigos, conservando os documentos do triunfo obtido, transmitiram-nos involuntariamente a memória desses homens enérgicos, e os nomes de João Alvo e Pedro «Feudo-tirou» (...) podemos hoje estampá-los nas páginas da história, o grande e indestrutível livro da linhagem popular.»

O fim do feudo, que Pedro acabou por não tirar, seria negociado dois séculos mais tarde, a 13 de Abril de 1406, por D. João I, conforme relatou Germano Silva numa crónica recentemente publicada no Jornal de Notícias, em que apela para a comemoração dos 600 anos de autonomia administrativa do Porto.

27 comentários:

rps disse...

Bem regresso, Carlos, e votos de Bom Ano!

Não vou comentar as fotos nem o post por razões que, há uns tempos, o Funes explicou num post...

A propósito da crónica do Germano Silva, aproveito só para dizer que o meu colega Germano é um notável desta cidade. Um senhor. Que muito admiro.

Abraço.

amie disse...

que bom regresso!saudades!e bom ano!

Carlos Romao disse...

RPS,
comente à vontade, as razões do Funes, por muito válidas que sejam - e são-no tantas vezes - só o vinculam a ele.
Quanto ao Germano Silva, estamos de acordo
Um abraço.

Amie,
bom ano para ti também :)

Lino Gomes disse...

Dizia alguém que o Porto esteve sempre do lado certo da história, não será tanto assim, mas pelo menos quase sempre!

nelsonmateus disse...

com este post estas novamente d volta e em grande estilo!

gostei! :)

Dinada disse...

Bem re-vindo e um Bom Ano.
A segunda foto está deslumbrante...

Beijo.

musalia disse...

muito interessante! aprendo sempre que passo pelo teu canto:)
um bom ano.

Parrot disse...

Bom Ano,

Fico à espera de outras fotos...exelentes.

Abraço

susana disse...

Encontrei este blog por mero acaso e fiquei presa a ver as fotos. Fantásticas! Fiquei com a curiosidade de saber se é fotojornalista e se tal em que jornal trabalha...
Bom trabalho

Carlos Romao disse...

Susana,
obrigado pelo comentário. Eu não sou fotojornalista. As fotos do blogue são produto do meu amadorismo fotográfico.

blue kite disse...

se todo o "amadorismo fotográfico" fosse assim, eu (e mais uma data de gente) andava de olhos arregalados mais frequentemente.
Estava eu a saltar de bolg em blog... e encontrei este. Gostei m-u-i-t-o, muito! Os textos, as fotos, uma beleza. Toda merecida pelo Porto!Já coloquei o link no meu blog, ok?

Freddy disse...

Tava a ver q demoravas mais... Grrr!!! Adoro o Paço Episcopal e trazem-me mto boas recordações das serenatas q lá ouvi...

Aquele grande abraço da Zona Franca

Ernesto disse...

as lutas libertadoras passaram por aqui.

Beatriz Abrantes disse...

Olá, Carlos, como passastes as festas de Fim de Ano? Desejo-te um excelente 2006.
Bem, irei sim , este ano a Portugal e ficarei um bom tempo pelo Porto, mas ainda falta muitos meses. A viagem é para novembro; mas assim q ficar definida, avisou-te, não esqueci que serás meu guia pela cidade, rssss. Qto ao teu ftblog....como sempre uma aula e tanto de História e fotografia! Bem ...amador tu? Creio que já passastes desta fase, rssss. Tas sempre de parabéns.
Abraços
Beatriz

Denudado disse...

Prezado Carlos, se me permite o atrevimento, quero convidá-lo a ler o texto que escrevi no meu blog, em comentário a este seu post.

Se encontrar alguma falha no meu blog, não se admire. Só agora é que comecei a publicá-lo e ainda estou a aprender. O endereço dele é http://amateriadotempo.blogspot.com

Carlos Romao disse...

Beatriz Abrantes,
Amador sim, no sentido em que fotografo por gosto e não tiro proveitos financeiros da fotografia. Mas ainda hei-de pensar nisso... ganhar dinheiro trabalhando não é «pecado» e... até dinamiza a economia :-)

Denudado,
Estou-lhe grato pela referência que faz a este blogue. Quanto à história que eu aqui adaptei às fotos por mim tiradas, acredite que é muito mais saborosa lida no Portuenses Ilustres do José Pereira de Sampaio Bruno, ele próprio um ilustre portuense. Há uma edição recente da Caixotim, prefaciada pelo prof. José Augusto Seabra, que pode ser adquirida através da internet.

Pedro Estácio disse...

Olá Carlos,

Passei por aqui para te desejar um ÓPTIMO 2006! e fazendo votos que esta tua/"nossa" cidade tão surpreendente tenha. também ela, em 2006 um surpreendente ano!!

Este teu post despertou a minha atenção por duas ordens de razões;
As fotos do Palácio Episcopal pelas recordações que me trazem das muitas serenatas em que participei, o texto pela curiosidade que me despertou por esse pedaço da história deste nosso Porto.

Grd Abrç,
Pedro Estácio

Daniel disse...

Carlos, já te disse que és um verdadeiro artista? Nunca me enganas-te ;)

Abraço!

Saurius disse...

Este blog está fantástico, mostrando um olhar muito bonito sobre a cidade do Porto. Parabéns!

Um homem do Sul

Júlia Coutinho disse...

Passei por aqui e mais uma vez senti que valeu a pena. Um sitio cheio de História e de belas imagens de essa nobre cidade do norte do nosso país.
É um dos meus blogues favoritos.
Um Bom 2006 !

José Guinea disse...

Sou um portuense expatriado, amador de fotografia e que sempre se extasia diante de belas representações da cidade Invicta. Esse blog está excelente, a ideia bem construída e bem posta em prática, tem boa apresentação gráfica e as fotos demonstram o amor que você tem pelo Porto. Parabéns e espero que continue a nos deliciar. Feliz 2006.

José

Anónimo disse...

Sempre que venho aqui e vejo estas fotos e a ignorância deliberada da destruiçao que estão a fazer no centro do Porto, penso cá para mim: "realmente é mesmo uma cidade surpreendente, tristemente surprendente". MD

Gourmet de provincias disse...

Oporto es, sin duda, la ciudad más interesante del noroeste peninsular. Es una ciudad que visito con frecuencia y que cada vez que vuelvo me gusta más. Mi última visita fue hace una semana. Puedes encontrarla en mi blog.

Felicidades por tu weblog, volveré con frecuencia.

INFORMANIACA disse...

Um site a não perder....como visita diária!

Parabéns.

LC

th disse...

As coisas que eu aprendo contigo, meu amigo...e aquelas com que eu me maravilho...
Bom Ano 2006!
Abraço, theo
PS. o Menino Jesus deu-me um livro sobre o Palácio de Cristal,A Garden Paradise com texto de Manuel Jorge Marmelo e fotografia de Cassiano Ferraz. Conheces?

CARMO disse...

Isto sim! É começar o ano em grande! De facto o Porto foi, é e será (assim espero) um contra poder... é sempre delícioso aprender um pouco mais do pouco que sabemos e apreciamos. Quanto às fotografias? Tomaram muitos profissionais...
Parabéns pelo excelente post! Um 2006 cheio de sucessos.
Abraço, Sérgio.

Anónimo disse...

Olá, Carlos! Sou eu, uma desaparecida da tua visão: Ana Marques.
Por acaso, hoje, perdida entre links vim dar aqui e Às tuas fotos, novamente. É bom saber que não deixas de fotografar. Queria saber mais de ti e contar-te coisas minhas... A menina Ana já não anda pelos lados de Jornalismo agora ;) Manda-me o teu novo mail para aqui: shiro_riot@yahoo.com para retomarmos contacto. Se quiseres, claro.
Muitos beijinhos,

Ana