22 de fevereiro de 2006

No Mercado Ferreira Borges

Há edifícios com sorte, como este.



Construído, entre 1885 e 1888, para substituir o Mercado da Ribeira, viu o seu destino alterado alguns anos depois.
Serviu de garagem, de cozinha dos pobres, esteve para ser museu, foi estufa e escapou por pouco ao destino do Palácio de Cristal, o camartelo. Foi mercado de frutas e depois abandonaram-no.



Em 1983 a Câmara fez o que devia, recuperou-o. Hoje presta bons ofícios como espaço «multi-usos», da cultura a eventos comerciais.



É pequeno, se o virmos pela bitola da actual mania das grandezas, mas tem uma escala humana. É leve, luminoso e arejado.
Foi inovador, quando nasceu, pelo emprego de novos materiais, o vidro e o aço.



Está decorado com motivos vegetais, combinados com ornatos animalistas.
Outra particularidade, as colunas, que servem de suporte da cobertura, funcionam no interior como condutas de águas pluviais, que posteriormente são encaminhadas para o rio.



Depois de tudo isto, digam lá se não é justo que, o Mercado Ferreira Borges, faça parte do imaginário do centro histórico portuense.

26 comentários:

lazuli disse...

Quando aí estive numa das últimas vezes, visitei essa maravilhosa parte do imaginário do centro da cidade, um expoente da arquitectura de ferro, no Porto.
Tem uma beleza especial, sim.
Mas através dos teus olhos e da tua máquina, das notas que pões, do modo como elaboras o post, a beleza parece adquirir outra dimensão.
É mais belo agora esse edifício.
Posso parecer suspeita, porque sou uma assumida admiradora das tuas fotografias e uma amiga incondicional.
Mas acaba de estar aqui neste pc um familiar meu que conhece o Porto melhor do que as palmas das suas mãos, e que ficou deslumbrado com o blog.
É portanto mais uma opinião insuspeita a juntar a outras.
É que às vezes o entusiasmo e a admiração que tenho por este cantinho especial, fazem-me duvidar de alguma racionalidade.
Mas isso é o menos, pois há que gostar não só com a razão mas também com o coração.

Um beijo, Carlos

Venus as a boy disse...

É um dos meus edifícios preferidos do Porto!

Perola disse...

Olá Carlos! Nem sei como te descobri, mas gostei muito das tuas fotos. É uma visão muito especial da cidade, uma forma de mostrar o que todos os dias vemos e nem nos apercebemos dessa beleza, que tu captas com a tua objectiva. Parabéns.

CARMO disse...

Do meu imaginário seguramente faz parte!

Effe disse...

agora do meu tambén

Teófilo M. disse...

Desde criança, de uma varanda da Rua de Sousa Viterbo me habituei a ver a lufa-lufa dos carrejões transportando caixotes de fruta e hortaliças desde a manhãzinha até cerca das duas da tarde. A partir daí o movimento decaía e os serviços de limpeza faziam a sua aparição.

Hoje, já não se encontram por essas bandas nem carrejões, nem serviços de limpeza, mas ao menos a conservação e manutenção do edifício lá se vai fazendo, felizmente!

Poderia ter ainda mais movimento, mas quem manda já demonstrou não ter habilidade para mais.

Gostei de todas, mas a primeira está espectacular, e desta vez o Porto ficou inundado de Sol, embora me pareça ser um Sol de Inverno.

Abraços

Anna disse...

mais uma vez o CR coloca a objectiva num edificio da minha cidade que eu até nem achava mta piada e acontece esta coisa estranha em mim de nc mais voltar a olhar para o edificio da mesma forma displicente com q olhava antes... bem haja!

Mendes Ferreira disse...

------assim como tu-----

sempre!


b.e.i.j.o.

Anónimo disse...

Murcon (ou Murcão?)... ora aí está uma boa escolha pimba!... só falta o retrato...

Freddy disse...

Lindo, lindo...
Estou habituado a ir lá às feiras de livros e banda desenhada baratas... E já lá actuei também numa noite de grizo completo!!!

Pistolero disse...

Obrigado pela visita ao meu humilde espaço.É com muito gosto que vou passar a ser um visitante assiduo deste local.
Abraço.

Sinapse disse...

é justo, sim!

blue kite disse...

é sim senhor um espaço especial...
Belas fotos, que lhe fazem justiça!

rps disse...

Um edifício fantástico, da arquitectura do ferro, numa praça fantástica!
Tenho a ideia de, enquanto abandonado, a cor dominante ser o verde... Será confusão minha?...
Desconhecia esse pormenor das colunas de suporte da cobertura funcionarem como condutas de águas pluviais.
Só faltou dizer que o espaço acolhe também comício partidários. Jé levei com três ou quatro...
Não queria repetir-me, caro Carlos, nem você precisa de palavras de incentivo, mas estão fantásticas!
Abraço

Pedro disse...

Continuo encantado com as suas fotos. Estando longe, obriga-me a estar perto e a recordar o tão belo que é o "Poorto" ...
Embora sendo natural da outra margem, sou um incondicional fã da Mui Nobre e Sempre Leal Cidade Invicta. Parabens. Continue.

Coisas da vida... disse...

Boa noite.
Luana, prazer. Navegando pela net encontrei seu blog e a paixão pela Arte de Fotografar me encantei pelo seu trabalho aqui exposto.
Gostaria de saber outra coisa: gostaria ded adicioná-lo no meu blog (que por acaso tb é do "blogger") mas não sei manipulá-lo ainda, fiz a pouco tempo... como faço?
Se conseguir me adicionar, agradeço e espero ter um amizade...
http://luajornalismo.blogspot.com

Até lá

Luana

Mendes Ferreira disse...

e re.volto. bjo.

lazuli disse...

Aqui me perco, aqui me encontro.
Beijos

Jaime disse...

O espaço em si é de uma beleza extraordinária. E que dizer das tuas fotografias? Do melhor que tenho visto... (faltam-me adjectivos)!

Ernesto disse...

é a nossa torre eifel térrea.

Anónimo disse...

Para quem só inseria links de blogs que gostasse de ler [era o critério rígido inicial sobre quantidade e qualidade], murcon (ou murcão) é uma boa escolha... pimba!... só falta o retrato...
Parabéns!!! (tinha-me esquecido). Boas sessões de chat!... e de masturbação intelectual...

Carlos Romao disse...

Caro Sr. A.C.

É lamentável que depois de me ter «sugerido» repetidamente a inclusão de um link para o seu blogue, e de eu lhe ter delicadamente respondido que as ligações da Cidade Surpreendente resultam da minha preferência pessoal, venha aqui como anónimo, comentar em tom provocador.
O blogue «Murcon» será aquilo que entender. Quanto à inclusão do link, é fruto da minha escolha e da simpatia que me inspira o seu autor, ninguém ma pediu.

jhb disse...

A história, para além da sua própria beleza, não deve nunca ser esquecido para edíficios ou locais como este.Parabéns pelo enquadramento histórico, técnico, tradicional e humano da tua abordagem. Ver este site, por tão bem estar retratado a cidade, faz-me ter saudades dessa " que eu também adoro chamar Cidade Invicta" .

Roteia disse...

As cidades são feitas de elementos e forças contraditórias. Mas permita-me um desabafo, porque infelizmente nem sempre as coisas acabam bem como no caso do Mercado Ferreira Borges. Creio que o túnel teimoso de Rui Rio vai continuar a atropelar o Museu Soares dos Reis. Por isso acho estranho que a blogosfera portuense não se insurja todos os dias contra o facto consumado, ou mais precisamente, em vias de...
Não creio que este escândalo fosse permitido em cidades europeias, mas nas nossas cidades ainda vale tudo. A bela cidade histórica do Porto merecia mais respeito pelo seu património artístico.

Mendes Ferreira disse...

hum....vou re pensar....


bjo.

Anónimo disse...

Olá Carlos! Como está?
Bem, eu acabei de abri um novo Blog, "O Quiosque da Esquina" no qual me inspirei no pequeno quiosque em São Bento. (www.bloguedaesquina.blogspot.pt)
Se não for muito incomodo, poderia me colocar assim, de Lado com uma hiperligação para tentar aceder ao meu site?
Caso seja possivel, Farei a mesma coisa no meu.
Muito Obrigado.