26 de novembro de 2006

A Mário Cesariny


Prado do Repouso, Porto

Todos por um

A manhã está tão triste
que os poetas românticos de Lisboa
morreram todos com certeza

Santos
Mártires
e Heróis

Que mau tempo estará a fazer no Porto?
Manhã triste, pela certa.

Oxalá que os poetas românticos do Porto
sejam compreensivos a pontos de deixarem
uma nesgazinha de cemitério florido
que é para os poetas românticos de Lisboa não terem de
recorrer à vala comum

Mário Cesariny

16 comentários:

Rosario Andrade disse...

Boa tarde, Carlos!
Deixa-nos fisicamente mas que permanecerá para sempre, nas imagens e nas palavras...
Linda homenagem.
Bjicos anchos

Ana disse...

Encontrei este cantinho hoje e, surpreendentemente, deparo-me com esta despedida.
Há sentimentos que não nos deixam esquecer aqueles que tão bem escrevem.
Um bem haja a ti e um adeus àquele que nos deixou mais do que sentimentos.

Beijos!

Duarte disse...

Imagem plena de harmonia, acorde com o poema, o momento e a climatologia.
Sensibilidade e melancolia juntas, algo que creio do agrado de ambos.

jvasco.fotografia disse...

O lado au e o lado bom:

Mau foi a notícia esperada: Cesariny morreu. Bom foi visitar o seu blog. Parabéns.
Vá dando notícias do seu. No meu, o Ponto de Vista, os poetas, por vezes, também passam por lá.
http://jvasco-fotografia.blogspot.com/

VNF XXI disse...

ESPÓLIO DE CESARINY EM FAMALICÃO. PARABÉNS AO PRESIDENTE DA CÂMARA POR LIDERAR O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO CENTRO DE ESTUDOS DO SURREALISMO, UM PROJECTO CULTURAL MARCANTE PARA O PAÍS.
___

O espólio cultural do poeta e pintor Mário Cesariny, que morreu na madrugada de domingo, em Lisboa, foi doado à Fundação Arthur Cupertino de MIranda, de Vila Nova de Famalicão, com a qual a Câmara Municipal mantém uma parceria da qual vai resultar a construção de um Centro de Estudos do Surrealismo (CES).

O poeta e pintor Mário Cesariny, que foi considerado o principal representante do surrealismo português, tendo integrado, em 1947, o Grupo Surrealista de Lisboa, doou a Famalicão toda a sua biblioteca, assim como pinturas e desenhos. Segundo o jornal "Público", no total, são entre 1300 a 1500 obras. Dessas, 800 já podem ser vistas na Fundação Arthur Cupertino de Miranda, mediante pedido de acompanhamento.

Em declarações à Lusa, o presidente da Câmara de Famalicão, Armindo Costa, disse que o CES vai ser construído de raiz, sob projecto do arquitecto Duarte Nuno, numa "zona nobre", entre o futuro Parque da Cidade e o centro urbano de Vila Nova de Famalicão. "A expectativa mais optimista é a de que obra arranque até ao final deste mandato autárquico", em 2009, prognosticou.

O autarca - que disse não poder estimar, nesta fase de estudos prévios, o custo global da obra - equaciona a hipótese de o projecto vir a integrar um conjunto de equipamentos financiáveis pelo Governo, no âmbito do evento Guimarães ? Capital Europeia da Cultura 2012.

Armindo Costa afirmou que o seu homólogo de Guimarães, António Magalhães, "já referiu o seu desejo de transformar a Capital Europeia da Cultura num projecto congregador das potencialidades culturais da região".

A gestão do futuro Centro de Estudos do Surrealismo será feita numa parceria entre a Câmara Municipal de Famalicão e a Fundação Arthur Cupertino de Miranda (um famalicense que foi fundador do Banco Português do Atlântico, actual Millennium BCP), à qual Mário Cesariny doou, há alguns meses, um espólio constituído por biblioteca, desenhos e pinturas.

Armindo Costa - que por inerência do cargo autárquico é também dirigente da fundação - considerou que Famalicão, ao juntar o espólio de Cesariny ao de Cruzeiro Seixas, "será, doravante, uma cidade incontornável para quem quiser apreciar, estudar e investigar o movimento surrealista português".

O presidente da Câmara esclareceu que Cesariny não tem raízes em Famalicão, mas decidiu confiar-lhe o seu espólio porque "viu que havia na cidade vontade e garantia de que seria preservado e dinamizado".

Lamentando o desaparecimento de Mário Cesariny, que ?constitui uma grande perda para o movimento surrealista e para a cultura portuguesa?, Armindo Costa adiantou que o nome do artista "ficará gravado a letras de ouro numa homenagem do Município de Famalicão através a construção do Centro de Estudos do Surrealismo".

escorpiaotenhoso disse...

Um poeta não morre, deixa-nos as palavras e a sensibilidade para encantamentos vários...

ET

Mariana disse...

fui tão burra por só me ter lembrado de Cesariny agora...não que o tivesse esquecido, mas nunca me dediquei a ele porque estranhamente me pareceu sempre certo. E agora é menos um que vou conhecer...

Mikas disse...

Desejo um óptimo fim de semana prolongado

pepe disse...

Belíssimo! Como tripeiro romântico fico feliz por assim ter sido satisfeito o desejo dum poeta.

Hugo Milhanas Machado disse...

Parte - mas somente pelo lado do dizível - uma das nossas últimas feras nocturnas. Mas a noite não acaba nunca onde o dia começa.

Um brinde.

HMM

O Oleiro disse...

Afinal, tiraste a máscara de cinismo tripeiro. Vai comer as tuas tripas, racista nojento.

A cambada que aprova um racista que se aproveita de uma ocasião para o demonstrar só pode equiparar-se a ele, e ser ainda selvagem, mentecapta e atrasada.

G.S. disse...

Esta foi tb a minha escolha poética para 'saudar' Cesariny!

Sem saber da sua homenagem, foi o poema q mais senti!

E o excerto da sua última entrevista diz mt da sua personalidade...

saudações

aidamonteiro disse...

Belíssima a homenagem, belíssimo o poema...

Foi um prazer ter estado aqui.
Até Sempre!

sleep well disse...

a vista da minha cidade é magnífica, deste blog! obrigada

Mendes Ferreira disse...

brigaA!!!da!!!!!!!!!!



____________________POR TAMANHA BELEZA.

M A R I A N E disse...

Todo poeta é imortal! Linda Portugal!! Abraço brasileiro!