15 de setembro de 2008

O retiro das garças-reais...

... em Lordelo do Ouro, Porto.

Conta-me quem sabe que há vinte anos não havia garças no Porto, e que as pobres aves terão vindo parar aqui porque os lugares onde viveriam e cresceriam naturalmente, têm vindo a ser destruídos pela contínua pressão humana.

A verdade é que há uma colónia de garças-reais que faz parte da paisagem do estuário do Douro. A maioria anda pelo Cabedelo mas há um bando que pesca e descansa numa zona do rio pouco profunda, diante do jardim do Cálem, em Lordelo.





Ontem, como a manhã estava temperada e luminosa e era Domingo, a actividade humana, em terra e no rio, levou dezoito dessas garças – contadas por mim - a erguer as asas e voar... para o topo de dois respeitáveis eucaliptos que, naturalmente, as acolheram.

9 comentários:

Rui Afonso disse...

Como sempre, fotos excelentes...

Funes, o memorioso disse...

Que prazer, passar por aqui hoje!
Ainda bem que nunca me conformei com a ideia de que este blogue estava abandonado.

Luís Bonifácio disse...

É mais provavel que o facto de haver Garças-Reais onde antes ninguém se lembra de as ver se deva à expansão da população, fruto do fim da utilização desregrada do DDT, que a uma hipotética pressão humana.

O mesmo se passa com as Cegonhas, que hoje em dia podemos encontrar em pleno centro de Aveiro, onde já não havia memória delas.

Duarte disse...

A arte de bem fotografar sempre está presente quando tu pões mãos à obra.
Os pássaros sempre foram um bom móbil fotográfico e muito mais numa situação como esta. Serve também para sensibilizar àqueles que passem por aqui.
Fenómenos deste género estão a acontecer frequentemente noutros sítios. Em Valência não se viam rolas, nos últimos anos proliferam por toda a cidade.
O mesmo acontece aí no Porto, quando se viram tantas gaivotas na Trindade? Passei por ali muitas décadas e nunca as vi. Presentemente parece que estamos a assistir à rodagem do filme de Hitchcock "Os pássaros".

Donagata disse...

Carlos, tanta gente que esperou pacientemente por ti e se regozija com o teu regresso...

Mais duas belíssimas imagens. Adoro garças e não fazia a mais pequena ideia que as podia ver tão próximo.
Um beijo grande e continua a deliciar-nos com a tua sensibilidade para apanhares o lado belo do mundo.

th disse...

Ena! eu sabia que valia a pena cá vir de vez enquando, e logo dois posts...que contente eu estou, pois sobretudo isso significa uma maneira feliz de estar na vida, é?
e o meu encanto é o de sempre pela tua arte.
Um beijo, Theodora

Maria disse...

como é que eu nunca vi nenhuma !? Vou passar a andar de nariz no ar, por esses lados :)

AM disse...

Quando estou triste vou procurá-las, no cabedelo, são lindas, elegantes e esperam-me para me consolar

Luis Ruano disse...

Não são só garças, são patos, galinhas de água e outros pássaros que não consegui identificar. A verdade é que o Douro está cada vez mais limpo, muito pelo esforço feito por todos os municípios de traz os montes e da beira alta. Aqui na cidade, um terço das casas continua a drenar para condutas que vão parar ao rio, isto para não falar dos conselhos limitrofes...