29 de março de 2012

Um percurso com entrevista

Acedendo a um simpático convite, percorri o Bairro da Sé com Júlia Rocha, jornalista do Jornalismo Porto Net, o jornal digital do Curso de Ciências da Comunicação da Universidade do Porto. O resultado, uma fotogaleria, com imagens captadas pela jornalista, e a conversa que tivemos, está aqui e aqui.

5 comentários:

Carlos Ferreira disse...

Hoje voltei à Baixa, pela primeira vez em 4 anos. Há uma guerra de palavras nas nossas paredes (se calhar porque algumas pessoas não sabem mais como se exprimir), e confesso que isso não me incomodou.

Foi a vista de tantos prédios devolutos, tantas montras vazias, tão poucas pessoas o que mais me chocou. O que será o Porto daqui a 20 anos? Que importância terá?

Ao mesmo tempo é um local de pessoas afáveis como em mais lado nenhum, banhado por uma luz extraordinária e capaz de trazer um sorriso em cada esquina. Pode ser que o destino do ano ajude?

Agradeço-lhe o trabalho em ambos os blogs.

Duarte disse...

As cidades são livros que se lêem com os pés e só assim podemos observar como ruge a cidade e onde se silencia na podridão.
As imagens entristeceram-me enormemente...
Vamos a ver se o empurrão causa efeito e a cidade pára de entrar neste estado de degradação.
Um abraço grande e a minha admiração

mfc disse...

E tanto há a fazer!

Margarida disse...

"(...) é um local de pessoas afáveis como em mais lado nenhum, banhado por uma luz extraordinária e capaz de trazer um sorriso em cada esquina (...)"
Muito bonito e verdadeiro, Carlos Ferreira.

Carlos Romao disse...

Eu é que lhe estou grato, Carlos Ferreira, tal como aos restantes autores dos comentários, por visitar A Cidade Surpreendente.

Não sei o que será o Porto daqui a 20 anos; o que se perspectiva no presente, para futuro, é o turismo. Talvez seja, mas esta região tem potencialidades para se afirmar noutras áreas, se não se insistir nos erros políticos do passado.