16 de setembro de 2012

Três imagens da manifestação «... Queremos as Nossas Vidas»

... seguidas de afirmações de dois cidadãos insuspeitos, proferidas fora deste contexto.

Nós estamos em democracia, todos os elementos para que isto funcione existem, se não funciona há uma responsabilidade pessoal do governo, do presidente da república, da classe política em geral, de todos nós. Nós próprios é que criamos as condições para que a classe política, a todos os níveis, não se sinta constantemente responsabilizada pelo nosso pedido de contas. Nós somos os eleitores, eles são os nossos representantes, não são os nossos chefes, não são os nossos senhores. Isso acabou há dois séculos.
Eduardo Lourenço, 22.03.2011

Os contribuintes estão a atingir um ponto de ruptura que não se coaduna com mais sacrifícios sob a forma de impostos. Há um limite, que é a fadiga tributária, e nós não podemos atingir esse ponto.
Adriano Moreira, 28.08.2012

2 comentários:

João Menéres disse...

Afirmações de duas personalidades acima de qualquer suspeita.
Soluções concretas, haverá ?

Um abraço.

Carlos Romao disse...

Eu creio que sim, João Menéres. Ao contrário do que pensam aqueles que exortam a população a abandonar o país e programam o empobrecimento dos que cá ficarem, nós não existimos nem trabalhamos para ter o destino dos pastéis de nata.

Um abraço.