19 de julho de 2017

FILMES MINÚSCULOS

FILMES MINÚSCULOS são exactamente o que o nome indica, curtíssimas metragens que não deverão ultrapassar um minuto, feitas com uma câmara fixa, à velha maneira dos primórdios do cinema. Quem estiver cansado de imagens fugidias e de efeitos electrónicos, poderá ter aqui um momento de repouso.
A acção, a desenrolar diante da câmara, será constituída por episódios da vida da cidade, com que deparamos todos os dias sem prestar atenção. Um pregão - quase desapareceram - o eléctrico que passa, uma loja antiga, gente que se cruza nas ruas. Veremos como esta intenção decorre. Se quiserem também podem chamar-lhe fotografias com movimento, porque a ideia passa igualmente por aí. E se gostarem divulguem, porque estas coisas só existem se forem vistas.

CAIXA DE MÚSICA é o primeiro filme minúsculo, captado no centro do Porto. Basta clicar na imagem acima para aceder ao filme no YouTube.

MERCADO DO BOLHÃO mostra-nos um recanto das barracas centrais deste espaço emblemático portuense, que irá desaparecer com as obras de reabilitação do mercado. Uma imagem para memória futura. Outras se seguirão.

À PORTA DO MAJESTIC CAFÉ observamos o movimento de pessoas diante do espaço mais procurado por turistas em Santa Catarina, a rua que, segundo o estudo de uma consultora imobiliária, é a mais movimentada do país.

JOGAR A SUECA à beira-rio é prática habitual de um grupo de moradores do Ouro, tanto no Verão como no Inverno. Clique na imagem para ver o filme.

5 comentários:

manuel conde disse...

Belíssima ideia e belíssimos filmes que retratam pedacinhos do quotidiano da nossa Cidade...

Pedro disse...

Excelente ideia Carlos. Assim se vai fazendo um mosaico dos "pequenos nadas" que preenchem a nossa vida colectiva.

Pedro Rêgo

Professor Pedro A. C. Teixeira disse...

Olá Carlos Romão.
Lindas as fotos que retratam o dia a dia de um povo, o que nos faz viajar por entre ele como se estivéssemos assistindo o momento no próprio local.Retratar esses momentos é retratar a própria história. Um grande abraço, cá do extremos sul deste gigante que anda meio sem rumo, mas que um dia voltará a ser um grande país, cujo povo terá novamente o orgulho que foi bruscamente abalado.

Professor Pedro A. C. Teixeira disse...

Olá Carlos Romão.
Lindas as fotos que retratam o dia a dia de um povo, o que nos faz viajar por entre ele como se estivéssemos assistindo o momento no próprio local.Retratar esses momentos é retratar a própria história. Um grande abraço, cá do extremos sul deste gigante que anda meio sem rumo, mas que um dia voltará a ser um grande país, cujo povo terá novamente o orgulho que foi bruscamente abalado.

Duarte disse...

Espectacular!!!
Conseguiste surpreender-me, é maravilhoso! Com algo realmente criativo, que cautiva pela sua excelência.
Aqui está bem plasmado aquilo que nos rodeia no dia a dia e que, por ser assim, passa desapercebido.
Os meus parabéns.
Abraço grande