28 de abril de 2009

Janelas do Tempo - VI

A Tabacaria Africana

Na montra da Tabacaria Africana anunciava-se o Diário de Notícias e a venda de pedras para isqueiros, quando um fotógrafo da casa Alvão, pela manhã, captou a imagem abaixo na esquina da Rua 31 de Janeiro com a Praça da Batalha.





A bela fachada metálica da tabacaria, decorada com motivos florais, formaria, no presente, um interessante triângulo com a antiga Ourivesaria Reis Filhos, cuja frontaria resistiu à passagem do tempo, do outro lado da rua, e o cunhal da Livraria Latina, na entrada de Santa Catarina. Desapareceu, porém, com a demolição do edifício, no entanto, a loja sobreviveu-lhe, naquele local, durante alguns anos em que se notabilizou com a venda de jornais estrangeiros.

6 comentários:

Sandra disse...

Era tão bonita antes...

Duarte disse...

Sinais que deixa o tempo contempláveis através da imagem...

Parabéns! requer esforço.

Um abraço

Donagata disse...

Porque é que quando mudam, estragam sempre?
Será que não se dão conta? Não há um plano urbanístico que se debruce sobre estes atentados?

João Vasco disse...

Foi excelente descobrir esta "Cidade". Um abraço cheio de parabéns.

Anónimo disse...

Olá Carlos!
Vejo que continuas a aproveitar bem o tempo, agora que tens de sobra...
Linda foto!

Claudette Guevara disse...

Há mudanças que não se entendem. E eu, de facto, não encontro uma explicação para alguém ter acreditado que transformar todo o projecto anterior serviria para melhorar a qualidade do espaço e da rua.