23 de abril de 2010

A fisionomia de Nicolau Nasoni



Há um retrato a óleo na entrada da torre dos Clérigos que nos é apresentado como sendo de Nicolau Nasoni, o arquitecto toscano que veio de Malta para o Porto em 1725, com o encargo de pintar o interior da Sé do Porto e por cá ficou, marcando de forma singular, com a sua arte, a fisionomia da cidade.

Sabe-se muito sobre ele, com quem casou, quantos filhos teve, onde viveu e trabalhou. Também se sabe que não se fez cobrar pelo projecto da igreja e da torre prodigiosa, e que acompanhou a sua construção, dedicadamente, ao longo de décadas, tendo como contrapartida, apenas, a entrada para a Irmandade dos Clérigos Pobres.
Morreu sem haveres no ano de 1773. Sabe-se também que, a seu pedido, está sepultado na igreja dos Clérigos, mas é corrente não saber-se onde, apesar de um autor afirmar estar o túmulo de Nasoni na pequena cripta da igreja, junto de outro onde repousa um cardeal.

Quanto à fisionomia do arquitecto também persiste a incógnita. Se, para alguns autores, o quadro que revelaria Nasoni terá desaparecido, para outros a figura ali representada não é a dele por exibir anacronismos no vestuário. Para outros ainda, trata-se sim de Nicolau Nasoni, mas num retrato póstumo.

3 comentários:

pbl disse...

Este Nasoni parece o Funes

Carlos Romao disse...

Assim gordinho?

pbl disse...

Nem tanto, mas é dar-lhe mais uns anitos.