12 de janeiro de 2012

Janelas do tempo - XII

Três mulheres constituem as figuras centrais desta imagem atribuída, como a anterior, a Marques Abreu, que deverá datar do início do século XX. Uma delas leva na mão um peixe, parco alimento que parece embrulhado num papel, provavelmente de jornal, enquanto outra olha curiosa para trás. Era um trabalho duro, o das mulheres que labutavam no Cais da Ribeira onde, pela via fluvial, chegavam muitos dos víveres e outras mercadorias de que a cidade necessitava. À direita, imobilizado com um calço, vê-se um carro de bois carregado de sacos que poderiam conter carvão. O toldo, à esquerda, deixa adivinhar a actividade comercial que ali havia e se manteve até há alguns anos, antes de ter sido substituída por bares, restaurantes e lojas de venda de produtos destinados ao turismo de massas.


Ao fundo está a estrutura esbelta e imutável da Ponte Luís I, reflectindo o sol da tarde, e um edifício que foi demolido há decénios, deixando aquele espaço mais desafogado, como pode observar-se na fotografia de baixo.

6 comentários:

C.C. disse...

Esta colecção das Janelas do tempo é maravilhosa. Parabéns

Carlos Romao disse...

Obrigado, C.C.

mfc disse...

Estas tuas janelas do tempo são belíssimas!

Duarte disse...

Seguirei vendo através destas janelas que nos abres de par em par.
Vale a pena!
Abraços

Anónimo disse...

Adoro o Porto e este blogue é
muito divulgador do mesmo.
Um abraço
Irene Alves

urbanascidades disse...

Carlos, as janelas do tempo que divides com teus visitantes nos possibilitam viajar através do tempo.
Magnífica ideia.
Paulo Bettanin.