23 de dezembro de 2006

Longa vida à Livraria Fernando Machado

Há dias, quando cultivava o meu vício de passear de máquina fotográfica, desta vez na tentativa de conseguir uma fotografia das pobres iluminações natalícias da Baixa, tive uma agradável surpresa. A Livraria Fernando Machado, apareceu-me, no meio da noite, reluzente, como nova, bem destacada da escuridão por uma luz esplêndida.



Lembrei-me então da notícia de O Tripeiro, na edição deste mês, sobre a Fernando Machado, anunciando que a livraria estava de regresso aos Clérigos, mais bonita e mais funcional, portas abertas a todos, com música em fundo que convida à permanência, disposta a retomar o seu lugar na cultura portuense.
O que vale, ainda segundo O Tripeiro, é que as livrarias, ao contrário dos homens morrem mas podem ressuscitar.
Longa vida, então, à Livraria Fernando Machado!

8 comentários:

Lurdes disse...

Boas Festas!
Beijos natalícios

João C. Santos disse...

Olá boa noite.
Celebra-se a época do Natal, que como tudo será rica e festiva para uns e a outros nem por isso, é com esses que o nosso pensamento tem que estar é a esses que desejamos o melhor de tudo, numa altura em que a ausência nos fere e entristece como nunca.

Um Feliz Natal.

João C. Santos

José Cavalheiro disse...

ainda bem que a cultura não morreu neste "pais de Socrates" e que muita dela ainda resiste, mesmo tendo em conta que a crise para onde nos levam é grande.
Continua a trazer-nos fotos bonitas da não menos bonita cidade do Porto.
Festas Felizes aqui da Ribeira de Sintra

Bic Laranja disse...

Belíssima fotografia.
Feliz Natal!

Funes, o memorioso disse...

Angel Latorre - "Introdução ao Direito"; Karl Engish - "Introdução ao discurso jurídico" e Pires de Lima/Antunes Varela - Código Civil: anotado (vols, I, II e III): foram os primeiros livros jurídicos que comprei. E comprei-os na "Livraria Fernando Machado". A "Almedina" a a "Coimbra Editora" ainda não tinham chegado ao Porto.
Ainda bem que a "Fernando Machado" está de volta.

PS - As iluminações de natal no Porto não são pobres. São pindéricas.

rps disse...

Hei-de lá ir.

J M Restivo Braz disse...

Ao começo da noite de ontem, passei por lá - é agora uma casa de design...

Vladek disse...

Agora é uma tasca gourmet com esplanada no passeio...