24 de dezembro de 2006

Um Pai Natal andaluz



Para o estereótipo ser perfeito faltam-lhe as vestes vermelhas. E ser menos comunicativo também, porque o velhote nórdico apenas solta uns monossílabos ininteligíveis. Gino Barba Iglesia, pelo contrário, é um homem concreto, simpático e conversador, que ri das amarguras da vida. Artista plástico itinerante, retratista de rua por estes dias a residir no Porto, acedeu amavelmente partilhar o desejo de Boas Festas aos visitantes que comigo fazem A Cidade Surpreendente.

4 comentários:

CARMO disse...

Votos de um feliz Natal!

Y. disse...

obrigada.





_____________


tudo de bom para si.


i.m.f.

Kraak/Peixinho disse...

...e que este Natal para ele não tenha sido mais um estereótipo neste ano que está a findar.

Boa contribuição para esta Cidade Surpreendente :)

Hugzz Natalícios

cocoranhetaefacada disse...

... o meu estereopito perfeito! gosto de «pais natais» assim: humanos, credíveis, terrenos... daqueles que soltam mais que um simples monossílabo... os que contam a amargura da vida especialmente com uma ternura no olhar! e sentados, sem estarem á espera de nada concreto, com uma serenidade de quem sabe o que os dias lhe contam...
gosto do seu olhar sobre o porto, sobre a sua cidade surpreendente!