20 de novembro de 2008

Manoel de Oliveira em S. Bento



Manoel de Oliveira partilhou hoje o seu prestígio com a CP, Comboios de Portugal, cedendo o seu nome a uma composição da série Alfa Pendular, numa cerimónia realizada na Estação de S. Bento. O cineasta chegou acompanhado por uma pequena multidão que, espontaneamente, se juntou no exterior da estação para o ver e aplaudir. A boa disposição do realizador levou-o ao ponto de envergar um boné de revisor da CP e a simular a verificação de bilhetes.



Além da estranha inscrição que ostenta no exterior, Manoel de Oliveira_Cineasta - com barra baixa e tudo, ao invés do acertadíssimo Cineasta Manoel de Oliveira -, o comboio está decorado com motivos retirados do filme Aniki-Bóbó, onde consta a primeira referência cinematográfica aos caminhos de ferro portugueses.



No átrio, a Kumpania Algazarra esforçava-se e conseguia subverter, com cor e música, a ordem natural e cinzentona do ir e voltar das pessoas que por ali passam no percurso casa-trabalho-trabalho-casa.
Como curiosidade, registe-se que foi a primeira vez que a velhinha estação central do Porto acolheu um comboio Alfa.

5 comentários:

Freddy disse...

É justo pois ele deve ter andado no primeiro comboio a circular em Portugal, entre o Carregado e Lx.. ;)

Anónimo disse...

A inscrição do nome do realizador com erros de sintaxe e de ortografia no nariz do comboio seria impossível em França, no Reino Unido ou mesmo em Espanha. Significa mais, muito mais, mas é também a prova da ignorância das classes dirigentes em Portugal.

Duarte disse...

Génio e figura...
Parece que por ele não passam os anos, que actividade!
A isto é ao que se chama estar informado e bem informar. Obrigado.
Sem dúvida, São Bento é a sala idónea para receber um personagem como Manoel de Oliveira.

Popelina disse...

Fantástico!

SombrArredia disse...

Portugal está de parabéns :)