4 de novembro de 2008

A Afurada a dois tempos

Em maré de comparações do tempo, como se prometeu abaixo, e se há-de cumprir nas Janelas do Tempo, passemos do tempo que aí se abordará, o das existências na sua mutação, para o tempo que faz, aquele que influencia o nosso comportamento no dia-a-dia, o tempo atmosférico, observando a acolhedora povoação piscatória da Afurada, na foz do Douro, a dois tempos - separados por um dia - : um, colorido pelo sol intenso e morno, que convoca a nostalgia do Verão, e o outro, cinzento, chuvoso e frio, que anuncia o futuro imediato, o Inverno que aí vem. Saibamos o que nos espera e não nos iludamos, pois, com o tempo.







5 comentários:

Donagata disse...

Carlos, adorei as fotografias, como sempre, e, muito especialmente o texto.
Um beijo do tamanho do mundo!

P.S.Utilizei uma fotografia tua num post meu. Não te perguntei nada, mas está devidamente identificada e "linkada" para o teu blog.

Se por acaso não quiseres, diz-me que eu tiro-a.
Mais uma vez um grande beijo.

Freddy disse...

Trabalho num edifício mesmo ao lado da pte arrábida que tem a melhor vista sobre a barra do Douro... É um privilégio!

Duarte disse...

Uma janela aberta a excelentes contrastes dos que muito gostei,
Não só nos embriagas com as tuas sempre extraordinárias fotografias, agora também com uma notória prosa académica.
Um grande abraço

a aldraba disse...

Acabou de receber o prémio Dardos.

Agora é só cumprir as regras. Quem recebe o “Prémio Dardos” e o aceita deve:

1. - Exibir a distinta imagem;

2. - Linkar o blog pelo qual recebeu o prémio;

3. - Escolher quinze (15) outros blogs a que entregar o Prémio Dardos.

2Pintas disse...

olá! tenho vindo a acompanhar a CIDADE SURPREENDENTE! apresenta lindas fotografias! verdadeiramente bonitas! beijinhos e votos de boa continuação!