31 de dezembro de 2009

Um rio irrequieto

O Douro aparentemente calmo na foz - a escassos dois metros de transpor as margens - e visivelmente sobressaltado em Crestuma, na última das dez grandes barragens que o sustêm depois de entrar em território nacional.





2 comentários:

De Amor e de Terra disse...

Pode estar revolto, pode fazer medo(s), mas é sempre belo, tal como a cidade onde cansado da viagem, se deita e adormece, abraçado ao Atlantico.

Bj

Maria Mamede

Anónimo disse...

Barragem de Crestuma-Lever! Ainda que nas margens de Lever foi adicionado o nome de Crestuma porque inicialmente seria lá a sua construção, tendo sido esta alterada devido a factores técnicos.